Em entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira (31), o prefeito do município de Maragogi, Sergio Lira, afirmou que apesar do impacto que as manchas de óleo vem provocando no litoral nordestino, a cidade não se encontra hoje com as praias sujas pelo petróleo. No entanto, o prefeito afirmou que houve uma queda muito grande no turismo local. Segundo informou Lira, a redução no setor chegar a 40%, o que prejudica a economia do município, que chegou a investir R$ 150 mil para ajudar na remoção das manchas nas praias.

Lira afirma ainda que Maragogi se encontra com suas praias mais limpas e sem nenhum problema para que sejam visitadas. “Acreditamos que pode chegar alguma gotícula de petróleo até dezembro, mas não é nada preocupante”, destacou Sergio Lira, que acredita que a região segue com praias e até corais limpos, e que apesar do impacto, não há restrições quanto a consumir peixes e mariscos da região.

Sergio Lira disse ainda que não chegaram recursos e fez críticas ao governo federal por não haver um plano de contingência. “Era pra ter um plano de contingência que não foi acionado, o fato de não ter um fundo de contingência é horrível. Recursos do governo federal de lá pra cá não tivemos nenhum”, afirmou.

Segundo o gestor, as praias mais atingidas foram Praia de Antunes, Ponta de Mangue, Peroba e São Bento, mas são praias de povoados e não ficam na cidade mesmo. Cerca de 500 marisqueiras do município irão receber o seguro defeso.

Por fim, Sergio disse concordar com as recomendações do governador de Alagoas, Renan Filho, em não decretar estado de emergência e afirmou que foram passadas “recomendações para os turistas e a própria população da cidade”.

Maragogi conta hoje com cerca de 400 voluntários de prontidão para qualquer eventualidade e por não ter uma visão do que pode ou não chegar amanhã, o município segue em alerta.

*fonte:cadaminuto